Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2012

Instax Mini Photo Project

Imagem
Meu novo projeto está em andamento: Instax Photo Project. Nele, vou fotografar Brasília de alto a baixo My new project is under way: Instax Photo Project. The idea is to photograph Brasilia from top to usando esse peculiar formato. Digo peculiar porque as fotos produzidas são do tamanho de um cartão de bottom in this peculiar format. I say peculiar because it produces credit card-sized photos. crédito. A câmera é essa aí, a Fuji Instax Mini 50s. Ganhei de Natal da minha melhor metade. A idéia é que This is the camera, the Fuji Instax Mini 50s. Got it last Xmas from my better half. The plan is to essas fotos vão, de alguma forma, compor um mural. Não tenho a mais vaga idéia de como vou fazê-lo.Na compose a mural with the pictures. I have no idea whatsoever how to do it. I have some ideas, in  verdade tenho algumas idéias, mas elas só serão estudadas com material suficiente à mão. Fotografarei a fact, but I'll analyse them once I have enough material. I will photograph the city, its bui…

Lembra do Fotolog?

Imagem
Alguém se lembra do Fotolog? Por algum tempo foi uma boa idéia. Você podia postar fotos e fazer comentários, como num blog. É. Por algum tempo foi bem. Eu consegui selecionar alguns contatos que costumavam postar ótimos trabalhos. Eu mesmo melhorei bastante depois que passei a postar fotos, pra ser sincero.
Mas a coisa começou a ir morro abaixo. Isso foi um pouco antes do aparecimento do Orkut. E uma certa onda negativa já se mostrava no horizonte. Muita gente começou a usar o Fotolog como site de relacionamentos. Era um tal de postar fotos idiotas de gente em poses idiotas em festinhas ainda mais idiotas, que vou te contar. Começou a ficar muito difícil selecionar o que tinha de bom naquela anarquia.
Alguém um dia me recomendou um outro site, chamado Fotothing. Hmm, fui lá ver qual era. Cheio de publicidade, tinha um visual meio poluído, mas achei mais fácil de usar que o Flickr. Convenhamos, navegar em ambientes do Yahoo! é pedir para passar raiva. Nunca me dei bem com o Yahoo!, se…
Ando irritado com o baixo nível de certas traduções que vejo na TV. Tem coisa básica demais acontecendo. Dia desses num filme, um personagem ensinava alguém a pilotar uma moto. Falou "clutch" duas ou três vezes e o tradutor tascou "freio". Freio, gente fina do meu Brasil varonil, é "brake". Clutch nada mais é que a tal da "embreagem". Difícil? Descuido? Ignorância, na minha opinião.
Sem falar nas inúmeras vezes que vi a expressão "shotgun" traduzida como "arma", "espingarda" e outras coisas do gênero. Até aí tudo bem o único problema é o contexto. Quando alguém grita "shotgun", a caminho de um carro, por exemplo, significa que aquela pessoa está dizendo que vai no banco ao lado do motorista. É uma redução da expressão "To ride shotgun". Difícil? Descuido? Ignorância, ela de novo.
Quando achei que nada mais me surpreenderia, ouvi um sujeito falando alguma "cracking" e o tradutor soltou …

2012 e alguns planos

Imagem
Está em fase inicial de planejamento minha primeira viagem de moto.
Deixa eu esclarecer aqui, antes que se pense que isso é algo banal: tenho poucos sonhos na vida. Viajar de moto é um deles. Sonho com isso desde que comecei a andar de moto.
Quando a idéia surgiu, em algum momento no ano passado, o plano era ir a Rio das Ostras, RJ, para o festival de jazz e blues que já é evento tradicional do calendário cultural daquele estado. Acabou não dando porque minha turma de faculdade combinou de se reunir exatamente nos dias em que eu pretendia viajar. E foi ótimo que aconteceu dessa forma porque, agora que estou colocando os planos no papel, tem muito planejamento envolvido.

Viagem nenhuma é para ser feita assim, de qualquer jeito. Uma viagem de moto é coisa ainda mais séria. Como é minha primeira vez, e há grandes chances de eu ir sozinho, o planejamento tem que ser minucioso. Colocar a bagagem no carro, entrar e dirigir é uma coisa. Fazer a mesma coisa numa moto requer mais cuidado. Se …

2012: o ano em que tudo vai virar farofa?

Olá. Feliz Ano Novo.  Não fiz resoluções este ano. Pelo menos não em voz alta. O que faz sentido, caso estejam os maias certos. Resoluções são como planos de longo prazo. Servem para ser alterados, adiados, esquecidos. Tomei decisões silenciosas, pois assim se desistir só ficarei com a consciência pesada. Ou não. Meu corpo anda pedindo algumas coisas, por exemplo. Tem me mandado sinais insistentes. Estou propenso a dar-lhe ouvidos. Ainda não fizemos grandes planos de férias este ano, mas estou pilhado para ir a Rio das Ostras em junho, de moto. Antes disso, precisaremos dar uma chegada em São Paulo, para um turismo básico e umas compras motociclísticas. O front laboral não guarda grandes expectativas. Mais do mesmo, provavelmente. Bem verdade que às vezes acho que me falta rumo. Mas estou deixando rolar.
Há várias coisas menores mais prementes. Pequenas arrumações aqui e ali, reforma dos banheiros (essa dá medo). Acho que não vai ser este ano ainda que o Borges vai ser repintado. Iss…