Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2015

Alegrias e agruras de morar em hotel

Há algum tempo um conhecido disse que seu sonho de consumo era viver em hotel, sem as preocupações que normalmente acompanham os meros mortais que alugam ou são donos dos imóveis em que residem: IPTU, água, luz, manutenção em geral. Quebrados que éramos concordamos que de fato era um belo sonho,
Meu recorde é de 30 dias morando em hotel, recorde esse que será quebrado ao fim desta viagem, com 95 dias. Assim, acho que estou mais que capacitado para dar um, digamos, parecer sobre o assunto. E o papo é o seguinte: se você for abastado o suficiente para morar em um bom 5 estrelas, vai fundo. Se no máximo conseguir um bom 4 (são poucos. Essa estrela a menos faz uma diferença...), talvez a viagem não vá ser assim lá tão suave. E isso levando em consideração que você vai morar num lugar minimamente interessante.
As duas primeiras semanas são normais. Você vai estar se acostumando com a nova cidade/país de qualquer jeito, então alguma trepidação já é de se esperar. Quando digo trepidação que…

Posé, posé, bon bagai!

Imagem
Duas semanas, alguns desarranjos intestinais, uma gripe, muita tosse e dores-de-cabeça depois da última postagem. E muito trabalho também.
A última semana foi especialmente difícil por causa dessa gripe que me deu e de suas consequências que só agora logro mitigar. Quero ter algo parecido com uma rotina, mas enquanto o corpo não se entender com a água, comidas diferentes, horários desregulados, não vou conseguir. Como não tenho conseguido me exercitar com regularidade, o corpo também começa a sentir a falta da atividade física regular, e uma coisa puxa a outra e a vida segue difícil.
A frase que dá título a este post, aliás, quer dizer "beleza, gente boa!", em creole. "Posé" ouve-se o tempo todo. O povo e amigável, como já disse, mas há uma desconfiança generalizada em relação a brancos. E preconceito de negros e mulatos em relação a si mesmos, com os últimos se achando melhores que os primeiros e por aí vai. Nota-se pelas ruas que cidadãos de pele mais clara são …

Mais um país, mais uma missão

Imagem
Estou na estrada de novo, crianças. O trabalho me trouxe desta vez ao Haiti, pedaço de ilha no Caribe que já passou por poucas e boas, como ditaduras sangrentas e catástrofes naturais. Já esperava encontrar desorganização, miséria e confusão. Como qualquer país pobre, há um lado mais colorido na paisagem cinza. Estamos em Petion Ville, bairro mais abastado da capital Porto Príncipe. Aqui as ruas estão em melhor estado, há casas muito bonitas e grandes espalhadas pelos morros - e dividindo esses morros com favelas, isso lembra algo? - e muitos, muitos SUVs. A proporção é de um automóvel normal para uns cinquenta SUVs. A razão disso? Pode ser a geografia da região, pode ser o fato de as ruas estarem destruídas, ou simplesmente porque são veículos mais indicados para o local. Como em muitos países na mesma situação, há uma parcela da população que não parece passar pelos mesmos problemas, que ostentam seus carrões enormes e novinhos para lá e para cá, parecendo ignorar as massas de gent…