sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Quase um mês desde a última postagem. Pouco ou quase nada mudou nesses últimos dias, as mesmas discussões povoam as redes sociais, as mesmas notícias, os mesmos desapontamentos com tudo, a mesma sensação de imobilismo, de desilusão, de frustração. Mais do mesmo.
A queda-de-braço entre o governo Dilma e a turma do Cunha continua. A Globo não desiste e o BBB16 está no ar, infelizmente. Na música, um cenário de desolação com pequenas ilhas de criatividade e um mínimo de cérebro. É, tá duro. E ainda por cima se foram Bowie, Glenn Frey, Alan Rickman, Ettore Scola, Marília Pera...
Mas não tem nada não, ripa na chulipa e pimba na gurduchinha que de depressão o mundo já tá cheio.
Este ano tem Olimpíadas - e toda a polêmica que fatalmente virá a tiracolo - e espero sinceramente que o Brasil não faça feio na abertura como fez na Copa. As aberturas das Olimpíadas são sempre fabulosas - lembram a de Londres? - e não é tarefa fácil. Nada se ouve falar a respeito. Ainda estou pensando se tento adquirir ingressos pelo menos para o futebol, aqui em Brasília. Não conheço o Mané Garrincha, queria tê-lo feito no show do Pearl Jam. A temporada de MotoGP deste ano promete, depois da zona que foi o fim da temporada passada.
Este ano tem mais coisas boas. "House of Cards" e "Demolidor" terão novas temporadas, assim como "Game of Thrones". Capitão Coxinha terá novo filme, Batman x Superman vem aí (Ben Affleck? Hmm, veremos). Deadpool é o que estou mais ansioso para assistir. E além desses uma carrada de coisas ainda estão sendo anunciadas. O novo Star Wars foi adiado para 2017, então não conta.
Shows também, né? Stones, Iron Maiden. Este vem a Brasília, mas infelizmente os organizadores decidiram que o show será no ginásio Nilson Nelson, famoso pela acústica não muito boa. Péssima, para dizer a verdade. Não tão ruim quanto a do Centro de Convenções, dizem, mas ruim de qualquer forma. Ainda torcendo para a confirmação dos shows do AC/DC e do Rush. E rezando de mãos juntinhas para que o ZZ Top anuncie uma nova passagem pelo Brasil varonil. Se tocarem no Allianz Parque, eu vou. Também não conheço esse ainda.
Vontade de ir novamente a Rio das Ostras para o Festival de Jazz, em agosto. Adoraria ir de moto, mas ainda não achei um parça. Adoraria ir de moto de qualquer jeito, com ou sem parça.
No mais, como diz o inimitável Milton Leite: "segue o jogo!".